Enfermagem Médico-Cirúrgica


Tipo de curso


O ciclo de estudos conducentes ao grau de Mestre em Enfermagem Médico-Cirúrgica, criado pelo Despacho nº 3034/2018, de 23 de março, integra:

a)um curso de especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica, constituído por um conjunto organizado de unidades curriculares, que corresponde a 75% (90 ECTS) do total dos créditos do ciclo de estudos;

b)uma dissertação de natureza científica (original e especialmente realizada para este fim) ou trabalho de projeto ou estágio com relatório, que corresponde a 25% (30 ECTS) do total dos créditos do ciclo de estudos. O grau de mestre é conferido aos estudantes que tenham obtido aprovação no Curso de Especialização e no ato público de defesa do relatório científico apresentado (dissertação, trabalho de projeto e estágio com relatório).

2.As áreas científicas e créditos que devem ser reunidos para a obtenção do grau

 

 Área científica

Sigla

Créditos

Obrigatórios

Optativos

Ciências da Educação

142

2,5

 

30

Gestão e Administração

345

2,5

Enfermagem

723

85

Total

120

30

3.Descrição e fundamentação

Nas últimas décadas foram muitos os desenvolvimentos que se registaram na enfermagem e respetiva regulação e carreira, nas instituições de saúde e nos modelos de governação associados, no ensino superior em geral e no ensino de enfermagem em particular e, mesmo, no trabalho e modelos de contratualização dos enfermeiros.

A par com estas transformações também houve evolução nos conceitos, nos modelos de prestação de cuidados e nas políticas e prioridades em saúde.

A ESEnfC não ficou alheia a estas mudanças. Como instituição de referência a nível nacional e internacional, tem o dever de atualizar os programas formativos que disponibiliza, na prossecução da sua missão de promover ao mais alto nível, a formação humana, cultural, científica e técnica aos seus formandos.

A atual proposta, parte do CPLEE Médico-Cirúrgica da ESEnfC, acreditado pela OE (Portaria 146/2016 de 18 de maio) e procede à sua atualização face às avaliações dos formandos, dos docentes e aos desenvolvimentos da saúde, do ensino e da profissão.

Tem como foco central a formação de enfermeiros com vista à intervenção especializada junto da pessoa a vivenciar processos de saúde/doença crítica, com vista à promoção da sua saúde, à prevenção e tratamento da doença, à readaptação funcional e reinserção social em todos os contextos de vida, tal como proposto pela OE (2009) e publicado em Diário da República em 2011, pelo Regulamento 124/2011 de 18 de fevereiro, para a especialidade em enfermagem em pessoa em situação crítica.

4.Objetivos gerais do ciclo de estudos

O curso de mestrado em EMC tem como principal finalidade formar enfermeiros que, na sua área de estudo e no âmbito das suas competências profissionais, sejam detentores de:

a)conhecimentos e capacidade de compreensão, a um nível mais desenvolvido e aprofundado, relativamente ao curso de licenciatura em Enfermagem;

b)conhecimentos e capacidade de compreensão que constituam a base para o desenvolvimento e/ou aplicações originais, nomeadamente em contexto de investigação;

c)capacidade para aplicar conhecimentos, compreender e resolver problemas em situações novas e não familiares, em contextos alargados e multidisciplinares;

d)capacidade para integrar conhecimentos, lidar com questões complexas, desenvolver soluções ou emitir juízos em situações de informação limitada ou incompleta, incluindo reflexões sobre as implicações e responsabilidades éticas e sociais que resultem ou condicionem essas soluções e esses juízos;

e)capacidade para comunicar as suas conclusões, os conhecimentos e os raciocínios a elas subjacentes, quer a especialistas, quer a não especialistas, de uma forma clara e sem ambiguidades;

f)competências que lhes permitam uma aprendizagem ao longo da vida, de um modo fundamentalmente auto-orientado e autónomo.

5.Objetivos de aprendizagem/competências

No final da formação e de acordo com o previsto pela OE (2009) relativamente às competências gerais do enfermeiro especialista e ao Regulamento 124/2011, relativamente às competências específicas do enfermeiro especialista em pessoa em situação crítica, os enfermeiros devem ser capazes de:

a)desenvolver uma prática profissional e ética no seu campo de intervenção;

b)promover práticas de cuidados que respeitam os direitos humanos e as responsabilidades profissionais;

c)desempenhar um papel dinamizador no desenvolvimento e suporte das iniciativas e estratégias institucionais na área da governação clínica;

d)conceber, gerir e colaborar em programas de melhoria contínua da qualidade;

e)criar e manter um ambiente terapêutico e seguro;

f)gerir os cuidados, otimizando a resposta da equipa de enfermagem e seus colaboradores e a articulação na equipa multiprofissional;

g)adaptar e liderar a gestão de recursos às situações e ao contexto, visando a máxima qualidade nos cuidados;

h)desenvolver o autoconhecimento e a assertividade;

i)basear a sua práxis clínica especializada em sólidos, válidos e atuais padrões de conhecimento; 

j)cuidar da pessoa a vivenciar processos complexos de doença crítica e ou falência orgânica;

k)dinamizar a resposta a situações de catástrofe ou emergência multivítimas, da conceção à ação;

l)maximizar a intervenção na prevenção e controlo da infeção perante a pessoa em situação crítica e ou falência orgânica, face à complexidade da situação e à necessidade de respostas em tempo útil e adequadas.

6.Organização do curso

O curso de mestrado em EMC é organizado e gerido pela Unidade Científico Pedagógica de Enfermagem Médico-Cirúrgica, da ESEnfC. No entanto, para a sua máxima qualidade e atualidade participarão, na qualidade de conferencistas convidados:

-docentes de outras Unidades Científico Pedagógicas da ESEnfC;

-enfermeiros especialistas em EMC, a desenvolver funções em diversos contextos clínicos e com desenvolvimento reconhecido na área da especialidade;

-enfermeiros especialistas em outras áreas de especialidade, cujo contributo se demonstre relevante para o curso;

-outros profissionais de saúde cujo contributo concorra para o desenvolvimento científico dos formandos.

O curso tem 120 ECTS e está organizado em dois anos letivos, onde se conjugam as dimensões teórica, de prática clínica e de investigação. As atividades letivas ocorrem em contexto escolar e em instituições de saúde, fundamentalmente, hospitalares nacionais e/ou internacionais, que garantam as condições de aprendizagem para dar resposta aos objetivos preconizados.





Unidades Curriculares Área Científica Tipo Total horas Horas T Horas TP Horas PL Horas S Horas E/TC Horas OT ECTS


T - Ensino Teórico; TP - Ensino Teórico-Prático; PL - Ensino Prático e Laboratorial;
S - Seminário; E/TC - Ensino Clínico/Trabalho de Campo; OT - Orientação Tutorial




ID Data Nome do ficheiro


ID Data Título do aviso Aviso


1º Semestre




2º Semestre




3º Semestre




4º Semestre